A CELA

Nossa espiritualidade está fundamentada na experiência cotidiana da “Cela”, mas não como nas ordens monásticas ou religiosas, afinal, somos leigos consagrados, casados, com filhos, imersos na correria do dia a dia da vida laical. A Cela é a meta, mas não a cela física ou um simples quarto ou ambiente isolado, estamos falando de cela diária e plena, a cela interior, modificando minha conduta e meu comportamento permanentemente. A inspiração bíblica está em 1Rs 19,9-18 no encontro de nosso baluarte e amigo, o profeta Elias, com o Senhor.

“Lá ele entrou na gruta, onde passou a noite” (1Rs 19,9).

O Senhor não estava no furacão, não estava no terremoto, não estava no fogo, mas sim em uma leve brisa, que fazia um suave ruído. A Cela que nos propomos a viver é treinada, por cada um de nós, toda quarta-feira, dia em que intensificamos orações, silêncio, solidão e jejum. A cela é o lugar onde experimento, inicialmente, onde sou treinado, para alcançar a espiritualidade da comunidade.

Dentro desta Cela diária, somos convidados a nos alimentarmos dos cinco pães e dois peixes que o Senhor Jesus multiplicou às margens do mar da Galileia (Jo 6,1-15). Assim como aquela multidão, somos atraídos pela pregação carismática de Jesus, porém, este carisma inato do Cristo não apenas nos comove, mas nos alimenta espiritualmente e esta alimentação se dá através de elementos concretos, cada pão e cada peixe possui um significado para nós:

Pães → Oração, Silêncio, Solidão, Jejum e Interiorização;

Peixes → Adoração Comunitária e Santa Missa.

Cinco Pães e Dois Peixes

Em suma, podemos resumir os elementos da nossa espiritualidade, que chamamos de Cela, assim:

PREGAÇÃO – Carisma

O Carisma em si, manifesto por suas ações públicas que possibilitam a atração de novos discípulos para Cristo.

5 PÃES – Oração Pessoal

O Alimento pessoal, do dia a dia, a refeição comum, aquilo que cada discípulo precisa comer para ficar de pé. Fazendo um breve paralelo com os nutrientes físicos, temos que os carboidratos são nutrientes responsáveis principalmente pelo fornecimento de energia para o organismo, em nosso caso, para sustento espiritual individual.

2 PEIXES – Oração Comunitária

O alimento pessoal mas também comunitário, aquele que diferencia uma refeição comum de um banquete. Em paralelo com a referência biológica, as proteínas são essenciais para o organismo, pois fazem parte de todas as estruturas do corpo. Elas constituem o citoplasma, o núcleo e a membrana das células, está presente nos músculos, tecidos, ossos, dentes, sangue e fluídos orgânicos, portanto, é alimento que unifica fraternalmente os membros da comunidade, nos tornando um só corpo.

Na cela experimentamos o que verdadeiramente é ser livre.

1. Aprendo a ORAR e a ser FORTE;

2. Aprendo a SILENCIAR e a ser JUSTO;

3. Aprendo a viver a SOLIDÃO DOS SANTOS e a controlar meus desejos sendo TÊMPERO;

4. Aprendo a INTERIORIZAR, ME CONHECER e a ser PRUDENTE;

5. Aprendo a JEJUAR e lapidar a minha FÉ;

6. Aprendo a ORAR COM MEUS IRMÃOS e a ter ESPERANÇA de que o Reino é possível;

7. Aprendo a VIVER A SANTA MISSA e a AMAR como Ele amou.