-Por Vinicius Tersariolli

Creio que sua resposta será que ama. A minha sempre foi “amo”, afinal, eu tenho devoção, respeito, temor, gosto de falar com Ele, de adorá-Lo, de ouvir e entoar canções bendizendo Seu Santo Nome. Para ir além nessa afirmação, eu posso citar que vou à missa todos os domingos, mesmo que eu viaje sempre procuro ir à missa seja em qualquer cidade em que esteja, participei de várias coisas legais que competem para o bem como: ir a orfanato; já fiquei batendo de porta em porta pedindo alimentos para os mais necessitados e até falei de Deus para algumas pessoas que nos doavam o alimento; já dediquei finais de semana em retiros para trabalhar pela evangelização do próximo; já sai às ruas vendendo gelinhos para ajudar minha comunidade; ah e sem contar que já dei esmolas para pessoas necessitadas. E se ainda não caíram lágrimas dos seus olhos, deixa eu te contar que também rezo o terço e faço leituras da Bíblia. É, até dá para acreditar que realmente eu amo a Deus. Porém, ao ler algumas palavras de nosso Senhor Jesus Cristo reveladas à Santa Brígida, fui impactado e quero compartilhar um breve trecho com vocês:

“Eu, deveras, quis que meu reino estivesse dentro do homem, e por direito, Eu deveria ser Rei e Senhor para ele, porque Eu o fiz e o redimi. Entretanto, agora ele quebrou e profanou a fé que me prometeu em seu batismo, e quebrou e desprezou minhas leis e meus mandamentos, que Eu prescrevi e revelei a ele. Ele ama sua própria vontade e se recusa a ouvir-me. Além disso, ele exalta acima de mim o pior ladrão, o demônio, e deu a ele sua fé.

Mas agora, há muitos que me odeiam e a meus feitos, e que consideram minhas palavras como desgraça e vaidade, e ao contrário, com afeição e amor, abraçam o adulterador: o demônio. Tudo o que eles fazem para mim é feito com reclamação e amargor. Eles nem mesmo confessam meu nome ou me servem, se não têm medo da opinião de outros homens. Eles amam o mundo com tal fervor que nunca se cansam de trabalhar por ele, noite e dia, sempre queimando de amor por ele. Seu serviço é tão agradável para mim como o de alguém que dá dinheiro a seus inimigos para matar seu próprio filho! Isto é o que eles fazem para mim. Dão-me algumas esmolas e me honram com seus lábios para conseguir sucesso no mundo e permanecer em seu privilégio e em seus pecados. O bom espírito está, portanto, bloqueado neles e eles estão impedidos de ter qualquer progresso em fazer o bem.

No entanto, se quiseres amar-me de todo seu coração e não desejar nada a não ser a mim, Eu te atrairei a mim através do amor, como um imã atrai o ferro a si.

Tomar-te-ei em meu braço, que é tão forte que ninguém o pode estender, e tão firme que ninguém, uma vez estendido, pode dobrar, e é tão doce que ultrapassa todos os aromas e está além da comparação com qualquer coisa doce ou prazer do mundo.

 

Trechos retirados do livro 1 capítulos 1 e 2 das revelações de Jesus a Santa Brígida, fonte: http://www.salverainha.com.br/

 

Ao ler essas palavras, inicialmente não tomei para mim, pensei que eu não me encaixaria no público alvo desta mensagem. Posteriormente, quando em oração, me foi revelado que elas eram para mim sim! Que eu realmente detesto e desprezo a vontade do Senhor quando essa vontade vai de encontro a minha vontade.

A verdade é que corremos da cruz do Senhor, somos iguais a Pedro que tenta repreender o Senhor quando Ele diz que iria sofrer em Jerusalém, não aceitamos a cruz por que não queremos subir na cruz. Não estou mencionado aquela “cruz popular” de passar por dificuldades diárias com a cabeça erguida, estou me referindo à verdadeira cruz, aquela que temos que nos esvaziarmos de nós mesmos, de nossas vontades, de nossos sonhos e desejos.

Realmente queremos fazer a vontade do Senhor? E se a vontade dEle for converter um tetraplégico descrente e te escolher para fazer isso, mas para realizar essa obra for necessário te deixar tetraplégico também para que através do seu testemunho de vida Ele alcance o coração desse acamado, você realmente diria amém ou “afaste de mim esse cálice Senhor, me deixa evangelizando nos grupos de oração mesmo”? E se ele quiser atingir o coração de um médico e precisar de um discípulo para contrair câncer e deste modo dar o testemunho a esse médico, você seria um voluntário? Perder um filho para alcançar os que perdem filhos…

Pense bem se realmente você ama tanto o Senhor que quer fazer a vontade dEle de maneira íntegra, seja ela qual for, ou se detesta a cruz.

Infelizmente eu me encontro no caso dos que ainda não têm força para assumir a cruz seja ela qual for. Ainda barganho com o Senhor e espero dEle proteção e cuidados, ainda me falta coragem e disposição para deixar minha vontade de lado e amar a vontade dEle , seja ela qual for.

Oremos para que Deus penetre nossos corações com seu Espírito e que nos converta de maneira íntegra, assim como o fez com seus santos.