“Oração.” Essa é a palavra central dessa homilia e da vida cristã.

No domingo (16/10), nossa Igreja presenciou a canonização de sete novos santos e santas que só conseguiram chegar à santidade através da oração. Esses homens, mulheres e até o menino Joselito (José Sanchez del Río) só puderam ser virtuosos pois oraram e deixaram o Espírito Santo orar neles, por isso, fortalecidos eles lutaram e venceram.

O Papa começa sua exortação citando a oração de Moisés que foi o motivo da vitória na batalha contra o invasor Amalec: O povo vencia a batalha enquanto os braços de Moisés estavam erguidos ao céu, caso ele os abaixasse, o povo começava a perder a batalha. Mas chega um momento no qual Moisés se cansa, então seus braços precisam ser sustentados por Aarão e Hur.

No evangelho, Jesus nos revela que “Deus fará justiça aos seus eleitos, que a Ele clamam dia e noite.” (Lc 18,7). Nossa oração não pode ser esporádica, pois assim não venceremos a batalha. Devemos orar sempre e assim como Moisés, sem desanimar e nos apoiarmos nos irmãos quando o cansaço chegar, para que nossa fé e nosso testemunho sejam fortes e reais.

O Papa termina relembrando esses sete novos santos, e pede que Deus, pela intercessão e exemplo deles, nos conceda sermos homens e mulheres de oração, deixando que o Espírito Santo reze em nós dia e noite, até que vença a Misericórdia Divina.