Irmão e irmãs, a paz do Cristo que liberta!
Nesta semana gostaria de refletir com vocês sobre como anda o nosso esforço em relação as coisas de Deus?
Por muitas vezes buscamos Deus apenas quando estamos passando por situações difíceis, ou quando queremos receber alguma graça, esquecendo da nossa busca pela santidade, da gratidão pela vida diária que Ele nos oferece.
Tudo o que somos e temos provém de Deus. São Paulo diz: “Que tens tu que não tenhas recebido?” (1Cor 4,7). Ser grato a Deus, o doador de tudo o que é bom, dá felicidade. [CIC 2637-2638, 2648]

E nós, o quanto temos dado para Deus? Será que temos retribuído todo este amor?

Não digo que conseguiríamos retribuir na mesma medida, pois isto seria jamais alcançada, mas será que nosso esforço tem caminhado para um melhor, ou que temos trabalhado internamente este sentimento de gratidão?
Francis Bacon, filósofo e estadista inglês dizia que: “Não são as pessoas felizes que são gratas; são as pessoas gratas que são felizes”.
Tá bom, já sei que preciso ser grato, mas então posso orar somente quando sinto vontade?
Não. Quem ora apenas quando tem vontade ou está bem disposto e não leva Deus a sério desaprende a orar. A oração vida da fidelidade. [CIC 2650] É preciso um esforço constante, para vencermos as nossas vontades. Esforço é empregar mais força ou empenho em determinada ação, com o objetivo de conseguir melhores resultados.
Não se acomode achando que o que faz já está bom e já é suficiente. Ao contrário, esforça-te, aguente mais um pouco, caminhe mais um pouco, cala-te novamente, faça de novo, escute, ame, ore, perdoe!
“Sede firmes, fortalecei vosso coração, vós todos que esperais o Senhor” Salmos 31, 25
Que neste tempo possamos refletir sobre nossas atitudes e buscas da vontade de Deus, e que consigamos perceber o quanto mais podemos nos esforçar para anunciar o Teu reino. Retribuir com gratidão aquilo que somos e recebemos!
Um abraço fraterno, e Fogo de Elias!
Marcio Oliva – Formador – Comunidade de Aliança Cristo Libertador