Por  Fernando Hamrouch

“Quem guarda tem!”
Peraí… será que tem mesmo? E se tem, tem o que?
Certamente você já ouviu este ditado e, muitas das vezes, o ouviu sob a forma de um conselho. Mas também você já deve ter ouvido que “se conselho fosse bom ninguém dava… vendia!” Bem, chega de ditados.
Vim aqui falar de uma coisa que, particularmente, venho experimentando, a providência divina! Mas, antes de eu falar, vamos ver o que a Palavra de Deus nos diz:
“Se Deus veste assim a erva dos campos, que hoje cresce e amanhã será lançada ao fogo, quanto mais a vós, homens de pouca fé? Não vos aflijais, nem digais: Que comeremos? Que beberemos? Com que nos vestiremos? São os pagãos que se preocupam com tudo isso. Ora, vosso Pai celeste sabe que necessitais de tudo isso. Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo.”
Mateus 6, 30-33
Pois bem, depois dessa passagem de Mateus, pouco me resta complementar. Mas vamos lá…
Como seres humanos, cegos, prepotentes, pseudo-controladores de tudo o que nos cerca, temos a tendência de sempre querer “garantir o próximo passo”.
Definimos a fé como “acreditar naquilo que não se vê” mas, quando a coisa é conosco, é bem diferente.

Eu sou assim, estou num profundo e longo caminho de reconhecimento e evolução mas, ainda sou. É difícil dar o passo esperando que Deus venha, em Seu tempo (que não é o meu nem o seu), e coloque o chão abaixo dos meus pés. Difícil né? Pois é esse o significado do famoso “dar um passo na fé!”
Somos chamados por Deus a não nos preocuparmos com nossas próprias necessidades, saírmos de nós mesmos, do nosso umbigo.

Precisamos focar na busca por algo maior, não perecível, que ninguém pode nos tirar: o Reino de Deus, a Santidade, a capacidade de servir o outro, viver para o outro.

Este é o chamado. Jesus viveu pelo outro. Jesus morreu pelo outro. Jesus morreu por mim e por você. E todos os dias renova esse sacrifício de amor, renova Sua Aliança conosco na Sagrada Eucaristia. Ele nos espera todos os santos dias de nossas vidas.
“Ide; eis que vos envio como cordeiros entre lobos. Não leveis bolsa nem mochila, nem calçado e a ninguém saudeis pelo caminho. Em toda casa em que entrardes, dizei primeiro: Paz a esta casa! Se ali houver algum homem pacífico, repousará sobre ele a vossa paz; mas, se não houver, ela tornará para vós. Permanecei na mesma casa, comei e bebei do que eles tiverem, pois o operário é digno do seu salário. Não andeis de casa em casa.”
Lucas 10, 3-7
Na passagem acima, em Lucas, Jesus envia seus discípulos (e a mim, e a você) e é bem claro em sua orientação: não leveis bolsa nem mochila, comei e bebei do que eles tiverem, não andeis de casa em casa. Em resumo, CONFIEM NA PROVIDÊNCIA! Não andeis de casa em casa, ou seja, não venda a sua fé, inclinando-a para onde for mais cômodo, para onde lhe derem mais. Não! A minha e a sua fé devem crer no único Deus, vivo, providente que, muito além do alimento, do conforto, da saúde, providenciou nossa salvação na cruz. E não há final mais justo e digno a um cristão do que este, a cruz. Carregar a própria cruz todos os dias.
Confie irmão! Acredite na única segurança que um cristão pode ter.
Que, ao final de tudo, eu e você possamos dizer:
“Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé.”
II Timóteo 4, 7