Por Guilherme Maggio

Pelas próximas 7 semanas, falaremos dos pecados capitais. Não teremos uma ordem hierárquica, apesar de deixar clara qual é esta ordem e que ela sem sombra de dúvidas existe. Falaremos conforme o Senhor falar em nossos corações (Eu e Leticia).

Entretanto, queremos deixar claro, que falaremos mais das VIRTUDES que combatem esses pecados, do que dos pecados em si.  Não adianta sabermos que somos pecadores, se não sabemos como sermos santos, homens e mulheres virtuosos.

Os pecados capitais são a origem e fonte de todos os demais pecados, e segundo os padres do deserto, atacam a integridade de nossa alma.

Desordenam os desejos, os sentimentos e o espírito do homem. Iniciaremos pela preguiça, QUE ATACA OS SENTIMENTOS, e pode ser chamada de acídia.

A Igreja Católica caracteriza este pecado, pela pessoa que vive em estado de falta de capricho, de esmero, de empenho, em negligência, desleixo, morosidade, lentidão e moleza, de causa orgânica ou psíquica, que a leva à inatividade acentuada. Aversão ao trabalho, frequentemente associada ao ócio, vadiagem. Do latim prigritia (Fonte: Católico Orante). Sem muitas delongas, quantas pessoas você conhece nesse estado? Você? É você mesmo! Quantas vezes assume práticas que o põe nesse estado, e estado de não prática! O preguiçoso fere a  JUSTIÇA, pois o que cabe a ele, outros terão que fazer. Ele contraria a TEMPERANÇA,  pois sempre dá vazão ao seu desejo de não fazer nada e se faz, faz mal feito. O preguiçoso não é  FORTE, pois não se violenta e traveste a PRUDÊNCIA como desculpa para sua fuga e seu estado de inércia. Tá, mas como combater?

A Virtude é a  DILIGÊNCIA: A palavra diligência vem de *diliger = amar. É não se cansar de fazer as coisas, valorizando-as sempre. Caracteriza-se pela garra, força e amor.

Aqui precisamos entender que amor, exige prática, esforço, dedicação, e ser diligente, é escolher amar sempre, em qualquer circunstância. Ora et labora,  é a frase que rege a regra de São Bento, e que traz em si o princípio básico do amor. Sem orar não amo, pois orar é falar com o Amor. Sem trabalhar, sou injusto e não amo, pois amar é se doar ao outro. Se violente, se lance, se esforce, se mova e se comova, pois ser diligente é escolher amar em todo tempo, e só quem ama pode dizer: EU CONHEÇO A DEUS!

Fogo de Elias