“Oferecer a todas as realidades escravizadas da humanidade, uma alternativa de libertação, através da organização das várias experiências do Belo, de modo que através delas um grande espetáculo seja apresentado ao mundo! Através da arte, em seu sentido amplo, oferecer uma oportunidade às pessoas de retornarem para Deus. Entrarem em contato com a fonte de toda a Beleza, o próprio Deus, no encontro com Jesus Cristo!”

O Papa Francisco exortou toda a Igreja para uma grande saída missionária. A Comunidade através da “arte” quer atender esta exortação do Santo Padre porque acredita que “Anunciar Cristo significa mostrar que crer n’Ele e segui-Lo não é algo apenas verdadeiro e justo, mas também belo, capaz de cumular a vida dum novo esplendor e duma alegria profunda, mesmo no meio das provações. Nesta perspectiva, todas as expressões de verdadeira beleza podem ser reconhecidas como uma senda que ajuda a encontrar-se com o Senhor Jesus. Não se trata de fomentar um relativismo estético, que pode obscurecer o vínculo indivisível entre verdade, bondade e beleza, mas de recuperar a estima da beleza para poder chegar ao coração do homem e fazer resplandecer nele a verdade e a bondade do Ressuscitado. Se nós, como diz Santo Agostinho, não amamos senão o que é belo, o Filho feito homem, revelação da beleza infinita, é sumamente amável e atrai-nos para Si com laços de amor. Faz parte do patrimônio da Comunidade transmitir a fé pela formação na  via pulchritudinis.” (Papa Francisco. Evangelii Gaudium, 167).

Assim, a Comunidade quer levar o rosto do Pai misericordioso aos que vivem uma vida sem sentido, escravos do materialismo,, como vivia o filho pródigo (Lucas 15, 1 – 32), a fim de que tenham no reencontro com o Pai a vida plena de sentido, esperança e vida, livres do mal.

Na vivência do Carisma os baluartes, são Santo Elias e São Paulo,  que nos ensinam como sermos fiéis ao Deus verdadeiro, nos mantendo em alerta constante para com as ideologias eivadas de materialismo, busca do prazer pelo prazer, e voltadas somente  para a satisfação das necessidades imediatas; é urgente levarmos o nome de nosso Senhor Jesus Cristo a todas as nações da terra. Temos por nossa mãe geradora, Nossa Senhora do Rosário de Fátima, quem sempre olhou por nós e nos acolheu quando éramos ainda crianças. Ela teve paciência e a duras penas nos educou e nos conduziu até aqui, para que a serviço de seu filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, possamos ser o que São João Paulo II nos pede:

“Nem todos são chamados a ser artistas, no sentido específico do termo. Mas, segundo a expressão do Gênesis, todo o homem recebeu a tarefa de ser artífice da própria vida: de certa forma, deve fazer dela uma obra de arte, uma obra-prima.” (Papa João Paulo II – Carta aos Artistas).

Nosso Carisma, nos leva hoje a missão, cujas principais armas de atuação, são a criatividade e às expressões artísticas em geral! Em especial o trabalho para com a Juventude, quem tem mais sofrido com as imposições escravizadoras do mundo atual.

O Papa exorta as Igrejas a incentivar o uso das artes na sua obra evangelizadora, em continuidade com a riqueza do passado, mas também na vastidão das suas múltiplas expressões atuais, a fim de transmitir a fé numa nova «linguagem parabólica». A Comunidade assume este desafio do Santo Padre e se propõe a ter a coragem de encontrar os novos sinais, os novos símbolos, uma nova carne para a transmissão da Palavra, as diversas formas de beleza que se manifestam em diferentes âmbitos culturais, incluindo aquelas modalidades não convencionais de beleza que podem ser pouco significativas para os evangelizadores, mas tornaram-se particularmente atraentes para os outros (Papa Francisco. Evangelii Gaudium, 167).

São Paulo nos impulsiona a uma nova atitude, quando relatou seu modo de agir na missão: “Tornei-me tudo para todos, a fim de salvar alguns a todo custo. E isto tudo, eu o faço por causa do evangelho, para dele me tornar participante.” (1 Cor. 9, 22).

Do mesmo modo queremos, como Comunidade de Aliança, formada em sua maioria por jovens solteiros e casados, com grande ardor, permitir que o Senhor nos molde, para atendermos aos seus sonhos. Para que junto com Ele possamos construir o Reino de Deus nesta vida!