-Por Guilherme Maggio

A paz galera que nos acompanha pelo face e via site! Este texto foi publicado na sexta feira santa de 2017, e hoje nesta publicação a pergunta é: Você já se sentiu amado?

 

Sabe quando estamos apaixonados por alguém? Quando não vemos a hora de acabar o dia de trabalho, para chegarmos em casa e nos encontrarmos com nosso conjugue, com nossos filhos? Sabe aquele amor que até dói só de pensar? Aquele sentimento de plenitude e de preenchimento? Sabe aquela sensação de que estamos no lugar certo, com a pessoa certa, na hora certa e fazendo a coisa certa? Pois é esse é o amor que nós precisamos experimentar em Deus, e COM ELE. Pois é este amor eterno e perfeito que ele sente por nós! Eu estou falando de Cruz querido, e minha querida.

Cruz, Amor, Sacrifício, Demonstração, Paixão, Entrega, Amor, Amor, Amor…

 

As 15hs de hoje celebraremos a maior entrega de Amor da história da humanidade. Uma Entrega com “E” maiúsculo. O Senhor Jesus, entrou na história, o INCONTÍVEL, entrou na contingencia dos tempos, e no momento certo, revelou tudo do Tudo. Mostrou a nós o que é ser Homem segundo o projeto Pai. Nos mostrou como é ser obediente, e obediente sem demora, como nos ensina São bento em sua regra. Se esvaziou, para se encher do que realmente IMPORTA. O Amor, que se encarna, para amar mais, e mostrar que não há limites para quem Ama, de verdade.

Na “Constituição Dogmática Dei Verbum”, lemos este trecho apaixonante:

Natureza e objecto da revelação

2. Aprouve a Deus. na sua bondade e sabedoria, revelar-se a Si mesmo e dar a conhecer o mistério da sua vontade (cfr. Ef. 1,9), segundo o qual os homens, por meio de Cristo, Verbo encarnado, têm acesso ao Pai no Espírito Santo e se tornam participantes da natureza divina (cfr. Ef. 2,18; 2 Ped. 1,4). Em virtude desta revelação, Deus invisível (cfr. Col. 1,15; 1 Tim. 1,17), na riqueza do seu amor fala aos homens como amigos (cfr. Ex. 33, 11; Jo. 15,1415) e convive com eles (cfr. Bar. 3,38), para os convidar e admitir à comunhão com Ele. Esta «economia» da revelação realiza-se por meio de acções e palavras ìntimamente relacionadas entre si, de tal maneira que as obras, realizadas por Deus na história da salvação, manifestam e confirmam a doutrina e as realidades significadas pelas palavras; e as palavras, por sua vez, declaram as obras e esclarecem o mistério nelas contido. Porém, a verdade profunda tanto a respeito de Deus como a respeito da salvação dos homens, manifesta-se-nos, por esta revelação, em Cristo, que é, simultâneamente, o mediador e a plenitude de toda a revelação (2).

 

Fonte: http://www.vatican.va/archive/ hist_councils/ii_vatican_ council/documents/vat-ii_ const_19651118_dei-verbum_po. html

 

O Deus revelado. O Cristo que nos disse tudo que podia ser dito de Deus. O Dito de Deus! Morreu por mim e por você, antes por amor e depois por misericórdia para nos salvar. Encerro este texto com esta música inusitada, que não foi composta para Jesus, mas que com certeza expressa a verdade do Encontro com o Crucificado!

 

Ainda Bem (Marisa Monte)

Ainda bem
Que agora encontrei você
Eu realmente não sei
O que eu fiz pra merecer
Você

Porque ninguém
Dava nada por mim
Quem dava, eu não ‘tava a fim
Até desacreditei
De mim

O meu coração
Já estava acostumado
Com a solidão

Quem diria que ao meu lado
Você iria ficar
Você veio pra ficar
Você que me faz feliz
Você que me faz cantar
Assim

O meu coração
Já estava aposentado
Sem nenhuma ilusão

Tinha sido maltratado
Tudo se transformou
Agora você chegou

Você que me faz feliz
Você que me faz cantar
Assim

O meu coração
Já estava acostumado
Com a solidão

Quem diria que ao meu lado
Você iria ficar
Você veio pra ficar
Você que me faz feliz
Você que me faz cantar
Assim

O meu coração
Já estava aposentado
Sem nenhuma ilusão

Tinha sido maltratado
Tudo se transformou
Agora você chegou

Você que me faz feliz
Você que me faz cantar
Assim

É, ainda bem

Fogo de Elias!