Hélide Meirelles, 30 anos 

Casada e vocacionada da CACL

 

Fui batizada quando bebê, porém não tive vivência de igreja a não ser em casamentos e batizados, morava com meus pais e meu irmão, meu pai desde que me conheço por gente sempre bebeu, vivia no bar, quando tinha 11 anos aconteceu uma reviravolta nas nossas vidas, em um domingo meu pai estava no bar e meu irmão foi atrás dele, lá meu pai arrumou um briga e foi aquela confusão, no dia seguinte já não podíamos mais voltar pra casa porque queriam ir atrás do meu pai, como não podíamos mais voltar pra casa, tivemos que mudar de cidade e fomos morar em Bragança Paulista cidade em que temos alguns parentes, porém não durou muito, quase um ano depois meu pai perdeu o emprego, não parava de beber e situação ficou ruim.

Voltamos pra São Paulo, eu e minha mãe fomos morar com minhas tias e meu pai e meu irmão com minha vó, devido a toda essa situação meu pai desenvolveu um problema psicológico, ele acreditava que a todo o momento iriam aparecer pessoas para nos pegar, ficou internado diversas vezes inclusive em clinicas de igreja, porém nada adiantou teve que tomar remédios para que ele não tenha essas “alucinações”, hoje com a graça de Deus ele parou de beber e frequenta a igreja. Nesse tempo em que meu pai passou por tudo isso morávamos com minha tia e foi aí que conhecemos a igreja, começou com meu irmão em 2002 fazendo crisma e em 2003 participou do E.J.C da paroquia, fui com minha mãe recepcionar meu irmão na volta deste encontro e fiquei maravilhada com a forma que cada um deles voltou daquele lugar, pulavam, cantavam, gritavam, se abraçavam e abraçavam todo mundo era até que engraçado, lógico que fiquei extremamente curiosa e com vontade de também fazer o encontro. Naquele mesmo ano entrei para a crisma e comecei a fazer amigos e até que com 17 anos fiz o tão esperado E.J.C. Voltei do E.J.C, igual meu irmão tinha voltado pulava, cantava saía abraçando todo mundo, tive uma experiência maravilhosa com Deus, tive meu primeiro amor.

Engajei-me na igreja, comecei fazer parte do até então Grupo de Jovens Anjos da Vida, em seguida iniciamos um ministério de dança e estava lá servindo a Deus. Em 2007 esse grupo de jovens foi instituído comunidade, e conquistou sua primeira casa e tive a oportunidade de participar deste momento único, mas em 2007 também tive a oportunidade de iniciar a faculdade de Educação Física, trabalhava e estudava o dia todo e acabei me afastando primeiro da igreja e logo em seguida de Deus, conheci diversas pessoas e conheci uma festa chamada “micareta” (festa de carnaval de shows com trio elétrico), comecei a ir a diversas micaretas e baladas, bebia, ficava com várias pessoas, saía da faculdade na sexta ia direto pra balada e no final de semana pra alguma micareta, nesse ponto já faltava muito nos ensaios do ministério de dança, não frequentava direito nem a missa, me afastei da comunidade.  Pela graça a Deus a comunidade Anjos da Vida nunca desistiu de mim, fui convidada pra trabalhar no 16º E.J.C, onde pude me colocar a serviço do Senhor novamente e servindo pude sentir Deus como nunca e ouvi-lo  me chamar de volta pra casa, voltei decidida a nunca mais abandonar o Senhor. Foi através de uma situação ruim e da separação de meus pais que tive a oportunidade de conhecer a Deus e me inserir na igreja, Deus me honrou e vem me honrando até hoje.

Depois de retornar a comunidade e a frequentar as missas, Deus colocou uma pessoa em meu caminho, começamos a namorar, porém ele professava uma fé diferente da minha e por 3 longos anos sempre ouvi dele que ele nunca ia casar, mas Deus prepara tudo aquilo que precisamos, nesse tempo continuei firme em Deus e deixando ele conduzir meus passos, pela graça de Deus ele se converteu ao catolicismo e nos casamos.

Continuamos na comunidade Anjos da vida até que Deus nos direcionou a novos desafios, conheci a comunidade Cristo Libertador e com ela a Simulação novos atos, que foi um divisor de águas na decisão de seguir os sonhos de Deus pra minha vida. Hoje sou vocacionada da comunidade Cristo Libertador e muito feliz graças a Deus.