CAMINHO FORMATIVO

Seja bem vindo amado (a) irmão (ã)!

Caso sinta-se chamado, atraído por nosso Carisma e desejoso pela vida fraterna, é muito simples, junte-se a nós! Basta enviar seu currículo, com sua experiência profissional dos últimos 5 anos, testemunho de vida dos últimos 12 anos e suas pretensões para os próximos 25 anos de vida. Iremos avaliá-lo e marcaremos um monólogo musical para que possamos recebê-lo ou não em nossa comunidade artística… Brincadeira irmão, não se assuste, o caminho não é esse não, ufa…

O primeiro passo a ser dado é se aproximar das atividades de nossa comunidade, em especial do nosso dia de espiritualidade, O GRUPO DE ORAÇÃO – AURORA, que acontece todas as segundas-feiras ás 19:30hs na Paróquia Nsa. Sra. do Rosário de Fátima. Persistindo a vontade de caminhar conosco, você poderá participar de nosso encontro CAMMINUS, realizado sempre no inicio de nosso ano comunitário, entre os meses de junho e agosto.

Neste primeiro ano os vocacionados poderão conhecer melhor o carisma CACL e saberão mais sobre a vida nas NOVAS COMUNIDADES em geral. Além de ter o primeiro contato com nossas particularidades, regras de vida e demais compromissos.
As formações são quinzenais, e realizadas todo 1º e 3º domingo de cada mês às 9:00hs, além de encontros gerais esporádicos com todas as fases de formação. Durante este ano, o vocacionado fará o nosso treinamento missionário, SIMULAÇÃO NOVOS ATOS, e no fim do ano um retiro, para dar sua resposta final, e pleitear o ingresso na CACL.

Resumo FORMATIVO COMUNITÁRIO – Vocacional (Palavras chaves)

DESCOBRINDO O CARISMA NOVAS COMUNIDADES FORMAÇÃO KERIGMÁTICA CONHECENDO NOSSA IGREJA FORMAÇÃO MISSIONÁRIA

OBS: Neste primeiro ano o vocacionado escolhe um sinal cristão, de sua devoção e passa a usá-lo todo o tempo. Este sinal será ofertado à comunidade no tempo da escolha! Este simbolismo marca o início do processo de entrega total ao Senhor e á vida comunitária.

“…mas quem beber da água que lhe darei, nunca mais terá sede.”(Jo 4, 14)

Realizando os primeiros vínculos, o vocacionado oferta ao fundador o sinal que o acompanhou durante o ano, e recebe o sacramental da CACL em um cordão azul.

Nestes próximos dois anos, o discípulo receberá formação quinzenal, buscando mergulhar em si mesmo, para que se conhecendo , conheça melhor a Deus. Ele será um GUARDIÃO DA ALIANÇA, uma sentinela, e deverá vigiar como Santo Elias, para que o elo estabelecido, seja fortalecido.

A partir de Cristo, buscará conhecer melhor a Deus Pai autor da Aliança, e beberá da água da vida, como a Samaritana, de modo que não venha, novamente, a ter sede.

Nestes anos o discípulo já assume algumas responsabilidades na comunidade e no ministério de artes, participa de missões e terá a vivência fraterna ampliada para estreitar os laços com os demais irmãos.

Todo este conteúdo será permeado pelo estudo e pela vivência das duas primeiras VIRTUDES CARDEAIS, que formam a base de nosso carisma, a FORTALEZA e a JUSTIÇA.

Resumo FORMATIVO – DISCIPULADO 1 – Azul (Palavras chaves)

DEUS PAI PROFETA ELIAS AUTO CONHECIMENTO VIRTUDE CARDEAL DA FORTALEZA VIRTUDE CARDEAL DA JUSTIÇA

Inspirações -> SERVO/SENTINELA/GUARDÃO/VIRTUDES/FORTALEZA/JUSTIÇA

CAT. 2544 / EXERCICIOS DE POBREZA – MAT 5,3.

Virtudes Cardeais são perfeições habituais e estáveis da inteligência e da vontade, que regulam os nossos atos, ordenam as nossas paixões e orientam a nossa conduta em conformidade com a razão e a fé. Adquiridas e fortalecidas por meio de atos moralmente bons e repetidos, são purificadas e elevadas pela Divina Graça. (Catecismo da Igreja Católica – CIC § 1804, 1810-1811, 1834, 1839). As Virtudes Cardeais, conhecidas também como “Virtudes Humanas ou Morais”, são quatro. A citarmos: Prudência, Justiça, Fortaleza e Temperança.

JUSTIÇA: A Justiça consiste na vontade constante e firme de dar aos outros o que lhes é devido. A justiça para com Deus é chamada de “virtude de religião” (CIC, § 1807, 1836 e cf. Lv 19, 15; Cl 4, 1).

FORTALEZA: A Fortaleza assegura a firmeza nas dificuldades e a constância na procura do bem, chegando até a capacidade do eventual sacrifício da própria vida por uma causa justa (CIC, § 1808, 1837 e cf. Sl 118, 4; Jo 16, 33).

“… abaixou-se tornando-se obediente até a morte, à morte sobre uma cruz.” (Fil 2, 8)

No terceiro ano os discípulos trocam a cor de seu cordão, de azul, para vermelho, simbolizando o sangue de Cristo. Neste período buscamos nos aprofundar com mais veemência no caminho descendente de Cristo até a cruz. As formações são quinzenais e através do conselho evangélico da obediência, desejamos como São Paulo, e junto dele, completar com nossos sacrifícios o sacrifício de nosso Senhor. Ao contemplar o crucificado, educar nosso olhar pesaroso a se alegrar com tamanha prova de amor, expresso nesta entrega total!

Nesta etapa as VIRTUDES CARDEAIS estudadas e aprofundadas são a PURDÊNCIA E A TEMPERANÇA.

“Agora regozijo-me nos meus sofrimentos por vós, e completo o que falta às tribulações de Cristo em minha carne pelo seu Corpo, que é a Igreja.” (Col 1,24)

Resumo FORMATIVO – DISCIPULADO 2 – Vermelho (Palavras chaves)

DEUS FILHO SÃO PAULO CAMINHO DESCENDENTE VIRTUDE CARDEAL DA TEMPERANÇA VIRTUDE CARDEAL DA PRUDÊNCIA

Inspirações -> ”Configurar se com a cruz de Cristo” – Dom Azcona

Salvifici Doloris – São João Paulo II

PRUDÊNCIA: A Prudência dispõe a razão a discernir, em cada circunstância, o nosso verdadeiro bem e a escolher os meios adequados para o pôr em prática. Ela guia as outras virtudes, indicando-lhes regra e medida (CIC, § 1806, 1835 e cf. 1 Pd 4, 7).

TEMPERANÇA: A Temperança modera a sedução dos prazeres, garante o domínio da vontade sobre os instintos e dá capacidade de equilíbrio no uso dos bens criados (CIC, § 1809, 1838 e cf. Eclo 5, 2).

“Minha alma engrandece o Senhor, e meu espírito exulta em Deus, meu Salvador, porque olhou para humilhação de sua serva” (Luc 1, 46-47)

Nos últimos três anos formativos, antes dos vínculos definitivos, os agora então Apóstolos, recebem o cordão verde. O verde simboliza a esperança da vida no Espírito Santo. Neste ano buscamos intensificar a relação de pureza, almejando nascer de novo pelo ventre de Maria, e sendo crianças alegrarmos o coração de Jesus.

O exemplo máximo de templo do Espírito Santo é Maria Santíssima, pobre, obediente e casta, sem macula do pecado. Como ela e com ela desejamos aprender gerar Cristo no mundo, através de nossa arte e principalmente de nossa vida.

Ao fim desse processo o apóstolo poderá se vincular definitivamente à comunidade, participando diretamente da construção desta nova vida, onde o Senhor deseja continuar libertando as nações!

Resumo FORMATIVO – APOSTOLADO – Verde (Palavras chaves)

ESPÍRITO SANTO NOSSA SENHORA DE FÁTIMA VIDA NO ESPIRITO SANTO VIRTUDE TEOLOGAL DA FÉ VIRTUDE TEOLOGAL DA ESPERANÇA VIRTUDE TEOLOGAL DA CARIDADE

Inspirações -> Consagração Total a Maria, Tratado a Verdadeira devoção

Virtudes Teologais são as virtudes que têm como origem, motivo e objeto imediato o próprio Deus. Infundidas no homem com a Graça Santificante, elas nos tornam capazes de viver em relação com a Trindade e fundamentam e animam o agir moral do Cristão, vivificando as virtudes humanas. Elas são o penhor da Presença e da Ação do Espírito Santo nas faculdades do ser humano (CIC, § 1812-1813, 1840-1841). As Virtudes Teologais são três. A citarmos: Fé, Esperança e Caridade.

: A Fé é a virtude teologal pela qual nós cremos em Deus e em tudo o que ele nos revelou e que a Igreja nos propõe crer, porque Deus é a própria Verdade. Com a fé o homem se abandona livremente em Deus. Por isso, o fiel procura conhecer e fazer a Vontade de Deus, porque “a fé age pela caridade” (Gl 5, 6) (CIC, § 1814-1816, 1842 e cf. Mt 10, 32-33).

ESPERANÇA: A Esperança é a virtude teologal pela qual nós desejamos e esperamos de Deus a Vida Eterna como nossa felicidade, repondo nossa confiança nas Promessas de Cristo e apoiando-nos o auxílio da Graça do Espírito Santo para merecê-la e perseverar até o fim da vida terrena (CIC, § 1817-1821, 1843 e cf. Hb 10, 23; Tt 3, 6-7; I Ts 4, 13-18).

CARIDADE: A Caridade é a virtude teologal pela qual nós amamos a Deus acima de tudo e o nosso próximo como a nós mesmos por amor a Deus. Jesus faz dela o Novo Mandamento, a plenitude da Lei. Ela é o vínculo perfeito e o fundamento das outras virtudes, que anima, inspira e ordena. Sem ela, nada seríamos e nada lucraríamos (CIC, § 1822-1829, 1844 e cf. Cl 3, 14; I Cor 13, 1-3).

Observações Importantes

Ao longo de toda a formação, serão abordados os conselhos evangélicos da pobreza, obediência e castidade, estes permearam toda a formação, costurando cada fase e moldando o futuro consagrado.
Além disso, nossa comunidade está inserida na espiritualidade Pentecostal, proveniente da Renovação Carismática Católica, e, portanto será guiada pela VIDA NO ESPÍRITO SANTO, e por admissão completa de todos os seus dons, infusos e efusos. Ao longo do processo são promovidas oficinas de dons e outras vivências que exaltam a espiritualidade carismática pentecostal;

“Em verdade vos digo que ninguém há que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos por amor de mim e por amor do evangelho, que não receba, já no presente, o cêntuplo de casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições; e, no mundo por vir, a vida eterna.” (Mt 19.29)

Após a consagração definitiva o missionário continua a receber formação por toda sua vida e pode viver em plenitude todos os mistérios do Carisma.

O missionário consagrado assume de vez, seu carisma, sua igreja e a vivência completa dos conselhos evangélicos, segundo seu estado de vida, que a esta altura já está discernido e consolidado.

FORMAÇÃO TEOLOGAL SOBRE A IGREJA APROFUNDANDO O CARISMA CONSELHO EVANGÉLICO DA POBREZA CONSELHO EVANGÉLICO DA OBEDIÊNCIA CONSELHO EVANGÉLICO DA CASTIDADE