A Paz do Cristo Libertador leitores!

 

Passado a Quaresma, Semana Santa, agora Páscoa, em que pudemos viver  um tempo de olhar para nós mesmo e nos reconciliar com Deus, acompanhar o sofrimento do Cristo até o Calvário e a alegria de celebrar da morte a vida eterna do Nosso Amado Jesus Cristo…e agora?

E agora é hora de vida nova, de já não mais olhar para o que passou, se levantar e seguir sem perder o rumo do Salvador. De que jeito?

Do jeito que o Senhor nos ensina: AMANDO!

Precisamos zelar, cultivar, se abastecer desse Amor à Deus, de todo o nosso coração, com toda nossa alma e pensamento e amar ao próximo como a si mesmo.

Porque quem AMA:

– NÃO TOMA O SANTO NOME DE DEUS EM VÃO, porque amamos à Deus em primeiro lugar e acima de todas as coisas, assim como o próximo e a si mesmo.

– GUARDA DOMINGOS E FESTAS, porque quem ama respeita e obedece;

– HONRA PAI E MÃE, porque encontra o verdadeiro valor de pai e mãe, pelo simples e primeiro ato de se doarem para gerar vidas, a minha e a sua;

– NÃO MATA, porque ama a vida;

– NÃO PECA CONTRA A CASTIDADE, porque ama a Deus, ao próximo e a si mesmo. Portanto, sabe o real valor de se guardar casto;

– NÃO FURTA, porque ama e sabe o que é seu e o que é do outro. Então, não pega aquilo que não é teu;

– NÃO LEVANTA FALSO TESTEMUNHO, porque como disse Jesus: “Amai vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem.” (Mt 5, 43);

– NÃO DESEJA A MULHER/HOMEM DO PRÓXIMO, porque se encontrando em sua vocação (casado, celibatário/a, sacerdote, religioso/a, solteiro/a), assume seu chamado por amor a Deus, ao próximo e a si, controlando seus desejos;

– NÃO COBIÇA AS COISAS ALHEIAS, porque lhe é feliz com o que lhe cabe para administrar;

Logo, não é difícil cumprir com os 10 mandamentos, porém é mais fácil amar as coisas de Deus e difícil amar ao Deus das coisas!

Jesus é Misericórdia. Como?

Como o Pai É. Cuidado com os falsos julgamentos, falsas doutrinas, vida desregradas, mentiras, prazeres desregrados, vida insana e desleal… escravidão do pecado.

Jesus nos salvou pelo madeiro. E não foi em qualquer praça pública, foi no calvário, porque o calvário nos ensina a viver, assim como aconteceu com Maria, com João, com os ladrões, com alguns dos soldados que puderam ali testemunhar cada segundo do momento crucial para nossa Salvação! Carreguemos nossa cruz, entre aprendizados, sem nunca desistir. Por quê?

Porque como nos disse Santo João Paulo II: “Santo não é aquele que não cai, santo é aquele que mesmo caindo não desiste de levantar”

Se vivermos o AMOR A DEUS sob todas as coisas, ao próximo como a si mesmo, os demais (9) mandamentos virão por acréscimo!

É tempo de ser LIVRE!

E só é LIVRE quem verdadeiramente AMA: a Deus, ao próximo, a si mesmo!

Fogo Santo de Elias!

 

Deus nos abençoe

Letícia Oliva – Co-Fundadora