41 anos, discípula da Comunidade de Aliança Cristo Libertador.

Falar sobre a minha vida é relembrar a passagem do evangelho encontrada em Lucas 15, 3-7 “A parábola do filho pródigo” que foi exatamente assim que fiquei por grande parte da minha vida, perambulando por muito tempo sem direção e sem rumo.

Desde menininha sentia falta de algo no meu coração, sempre fui uma criança inquieta, agressiva, bagunceira, desobediente e que gostava de viver perigosamente. Sempre fui muito sonhadora, minha família é de origem católica com mãe praticamente analfabeta e pai com quarto ano primário, sempre tivemos muitas dificuldades financeiras. Eu e minha mãe tínhamos muitos problemas de relacionamento, não conseguíamos se entender, eu sempre tentava dar um jeito de ataca-la…

O tempo passou e ao chegar à adolescência quis conhecer o que o mundo tinha para me oferecer, nesta jornada, inicie um processo de bulimia aos 14 anos que me levou para o centro cirúrgico aos 27 anos. Frequentei a umbanda dos 16 aos 24 anos, com o posto de mãe pequena, fui atrás de luxuria com noites e noites regadas de prazeres do sexo.

Mas, o Bom Pastor com toda paciência e misericórdia não desistiu de mim, e no meio deste turbilhão de acontecimentos, conheci o meu marido Paulo que mesmo sendo o oposto de mim, me aceitou e me acolheu, casamos e tivemos nosso único filho. Porém ainda existia uma inquietação dentro do mim inexplicável. Para suprir isto concentrei as minhas forças em ter um belo corpo onde todos pudessem olhar, elogiar e desejar possui-lo. Fui achando que cada vez mais eu era a rainha do mundo e que para mim tudo deveria acontecer. Uma mulher mimada e egoísta foi crescendo dentro de mim, com o passar dos dias comecei a perceber que algo estava muito errado. A minha vida virou de cabeça para baixo, já não tinha mais controle de nada e nem pra onde ir…

Neste momento conheci uma Comunidade de Vida e Aliança chamada Anjos da Vida, na verdade eu gostava mesmo dos cantos que eram diferentes e alegres, mas não queria me comprometer com nada, mesmo porque para mim tudo deveria ser do meu jeito.

Toda a arrogância e petulância foram reduzidas à pó. Aos 37 anos decidi que essa história de família era tudo besteira, não precisava mais do Paulo na caminhada. E você sabe porquê? Porque ele ficou desempregado e não conseguia bancar os meus caprichos. Até que um dia, um homem santo e grande amigo me levou até o Dom Bruno que com toda sua sabedoria me ajudou a encontrar o caminho para que o Bom Pastor pudesse reencontrar a sua ovelha. E a partir deste instante o Dom Bruno me disse em poucas palavras, “Você reclama de todos e coloca a culpa em todos, quer mudar as pessoas, mas se recusa a mudar primeiro. Quer mudar alguém? Mude você primeiro, é o seu testemunho que fará as pessoas repensarem como estão vivendo”.

Isso mexeu tanto comigo que a partir daquele instante eu só queria conhecer a Deus verdadeiramente. Deixei de lado hábitos adquiridos ao longo da minha história, fui fazer um processo de cura interior no Anjos da Vida, passei a compreender e perdoar a minha mãe, também pedi perdão, porque se não fosse por suas orações e por não desistir de mim eu teria perdido a minha alma no espiritismo. Encontrei verdadeiros tesouros (amigos) que todas as vezes que me encontrava no chão eles se fizeram presentes, me ajudando a levantar. Foi sofrido, mas necessário, porque durante este tempo o meu pai que era um ótimo pai, mas tinha o coração muito duro com as coisas de Deus, e nunca tinha feito uma experiência com o Cristo Jesus, ficou muito doente e eu era a pessoa que ele viu se transformar radicalmente quando escolhi mudar de vida e conhecer a Deus. Isto fez com que ele se apegasse mais ainda em mim.

No final do ano de 2015 prometi ao Dom Bruno que o ano de 2016 o rema para mim seria “Obediência” e assim estou fazendo, até que cheguei na Comunidade Cristo Libertador, muito tímida com muitos receios porque é muito difícil tal mudança, já que no Anjos da Vidas todos me conhecem e sabem quais são as minhas misérias. Pois bem, o Guilherme fundador me ouviu e com muito carinho me acolheu. Iniciei então um caminho juntos com os vocacionados da comunidade e durante este processo surgiu à proposta e um retiro que é preparado pela Comunidade do Caos a Glória chamado Simulação Novos Atos

E nesta simulação pude ouvir claramente a voz do Senhor: “Deise, você pode mais do que isso. O que você está vivendo vai te lavar e libertar completamente para receber o que eu tenho reservado para você. Falta pouco e tudo ficará claro, mas para isso você precisa ser Verdadeira, Obediente, Paciente e mais do que nunca Misericordiosa”.

Lá pude entender que o Bom Pastor precisa de muito pouco para que caminhemos com ele, precisa apenas que nos deixemos conduzir pela sua misericórdia, que é necessário abandonar TUDO o que nos prende, onde a palavra chave é a VERDADE.

Com a SNA, fui treinada para ser testemunha viva por onde passar, e não quero engavetar este treinamento que me custou o esvaziamento total da minha alma.