– por André Almeida

Muitas vezes escutamos que precisamos ser santos ou então que devemos buscar a santidade. Mas ser santo parece tão difícil nos dias de hoje, em meio a um mundo cheio de prazeres, que muitas vezes não conseguimos encontrar uma direção.

Escolher ser santo hoje em dia é possível sim! Olhando para a vida de Chiara Luce, podemos ver como uma decisão concreta nos leva a um caminho de santidade.

Chiara Badano nasceu em 29 de outubro de 1971, em Sassello, localizada no noroeste da Itália, primeira e única filha de Ruggero Badano, caminhoneiro, e Maria Teresa Caviglia, operária.

Teve uma infância tranquila e uma sólida educação cristã. Aos9 anos de idade participou de um encontro para crianças e adolescentes dos Focolares, onde acabou se apaixonando ainda mais por Jesus Cristo.

Chiara crescia como uma menina normal e era cheia de vida, praticava esportes como todos os outros em sua volta e só se destacava por sua predileção a Deus. Sua adolescência corre na mais tranquila normalidade até que aos 17 anos após sofrer uma lesão no ombro, ela descobre um grave e doloroso tumor nos ossos.

Chiara aceitou sua doença e foi internada em um hospital em Turim, logo depois escreve que “Jesus, mandou esta doença no momento certo”. Durante o tratamento ela não aceitou morfina e dia: ”Por mais um pouco de tempo, quero dividir a cruz com Ele. ”Chiara Luce no hospital era bem diferente dos outros pacientes e quando perdeu o movimento das pernas dizia que entre caminhar e ir ao paraíso ela escolheria a última possibilidade. Ainda recusando morfina e sentindo fortes dores, ela diz: “Não quero perder a lucidez, porque a única coisa que posso fazer é oferecer a dor a Jesus. Quero compartilhar com ele, ainda por um pouco, a sua cruz”.

“Por ti, Jesus. Se tu queres eu também quero!”, era o que ela repetia ao sentir as fortes dores da doença e do tratamento.

No dia 7 de outubro de 1990, com 19 anos, Chiara Luce deixa este mundo. Um último sorriso ao pai, Ruggero, e depois uma palavra à mãe, Maria Teresa: “Mamãe, seja feliz, porque eu o sou!”. Uma grande multidão participa do funeral, e, como ela mesma havia pedido, Chiara é sepultada com um vestido branco, “como uma esposa que vai encontrar Jesus”.

Foi beatificada em 25 de setembro de 2010 e em 2013 foi uma das intercessoras da JMJ no Rio de Janeiro.

O padre Abbé Pierre, escreveu:“ Os santos não estão limitados a um catálogo, e nós, certamente, cruzamos com eles todos os dias”.
Beata Chiara Luce teve uma vida dentro da normalidade e decidiu escolher Jesus. Que assim como ela, possamos também escolher de maneira firme entregar nossa vida nas mãos do Senhor.