Por – Fernando Hamrourch

Advento, tempo de espera!
Dezembro chegou e, com ele, a contagem regressiva para o Natal se inicia.
É tempo de montar presépio, de se preparar para o nascimento de Nosso Senhor Jesus e, infelizmente, com o mundo capitalista em que vivemos, é um dos períodos onde nossa sociedade mais gasta dinheiro com presentes, enfeites, viagens, comida etc.
Mas, nossa Igreja neste período, nos convida à vigília, à espera. Estamos no tempo sagrado do Advento. E o que é isso?
O Advento é o tempo de preparação para a grande celebração do nascimento do Menino Jesus, é onde se inicia o Ano Litúrgico. É um período que dura quatro semanas, onde a Igreja nos convida a nos prepararmos e esperar a chegada de Jesus, tanto fazendo memória de Seu nascimento em Belém, quanto aguardando Seu retorno no fim dos tempos.
Nas primeiras duas semanas do Advento, somos convidados a vigiar e esperar a vinda gloriosa do Salvador, Seu retorno. E, nas últimas duas semanas, nos preparamos para celebrar o nascimento de Jesus em Belém.
Os Profetas o anunciaram e Maria O gerou e O preparou para Sua caminhada aqui junto a nós.
Como diz o Catecismo da Igreja Católica no parágrafo 522: “A vinda do Filho de Deus à terra é um acontecimento tão grandioso, que Deus quis prepará-lo durante séculos.”
Deus, em Sua Palavra, dá diversos sinais da vinda do Salvador, passando pelo anúncio de diversos Profetas, culminando no principal deles, que conviveu e preparou com destemor Sua chegada, João Batista: “Precedendo a Jesus ‘com o espírito e o poder de Elias’ (Lc 1,17), dá-lhe testemunho por sua pregação, seu batismo de conversão e, finalmente, seu martírio.” – CIC 523.
Maria, por sua vez, foi o rosto da obediência, da fé, acolhendo o anúncio do Anjo Gabriel e ficando ao lado de Jesus, durante toda Sua vida, até a morte de Cruz. O “sim” de todos os cristãos passa pelo “sim” de Maria.
“Durante toda a sua vida e até sua última provação , quando Jesus, seu filho, morreu na cruz, sua fé não vacilou. Maria não deixou de crer ‘no cumprimento’ da Palavra de Deus. Por isso a Igreja venera em Maria a realização mais pura da fé.” – CIC 149.

Que, assim como João Batista preparou o caminho e Maria acolheu o Cristo em Seu ventre, preparemos nossos corações e nossos lares neste tempo de espera e de alegria pela chegada do Menino Deus.

Vigiemos para que não nos tornemos hospedarias, nas quais não há lugar para o Cristo que bate à nossa porta: “E deu à luz seu filho primogênito, e, envolvendo-o em faixas, reclinou-o num presépio; porque não havia lugar para eles na hospedaria.” – Lc 2,7
Boa espera para você!