Anúncio do Evangelho (Mt 13,1-23)

— O Senhor esteja convosco.—

Ele está no meio de nós.— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.—

Glória a vós, Senhor.

e1Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar da Galileia.2Uma grande multidão reuniu-se em volta dele. Por isso, Jesus entrou numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé, na praia.3E disse-lhes muitas coisas em parábolas: “O semeador saiu para semear. 4Enquanto semeava, algumas sementes caíram à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram.5Outras sementes caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram, porque a terra não era profunda. 6Mas, quando o sol apareceu, as plantas ficaram queimadas e secaram, porque não tinham raiz.7Outras sementes caíram no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas.8Outras sementes, porém, caíram em terra boa, e produziram à base de cem, de sessenta e de trinta frutos por semente. 9Quem tem ouvidos, ouça!”10Os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus: “Por que falas ao povo em parábolas?”11Jesus respondeu: “Porque a vós foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos Céus, mas a eles não é dado. 12Pois à pessoa que tem será dado ainda mais, e terá em abundância; mas à pessoa que não tem será tirado até o pouco que tem.13É por isso que eu lhes falo em parábolas: porque olhando, eles não veem, e ouvindo, eles não escutam nem compreendem. 14Desse modo se cumpre neles a profecia de Isaías: ‘Havereis de ouvir, sem nada entender. Havereis de olhar, sem nada ver. 15Porque o coração deste povo se tornou insensível. Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos, para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração, de modo que se convertam e eu os cure’.16Felizes sois vós, porque vossos olhos veem e vossos ouvidos ouvem. 17Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes, e não viram, desejaram ouvir o que ouvis, e não ouviram.18Ouvi, portanto, a parábola do semeador: 19Todo aquele que ouve a palavra do Reino e não a compreende, vem o Maligno e rouba o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho.20A semente que caiu em terreno pedregoso é aquele que ouve a palavra e logo a recebe com alegria; 21mas ele não tem raiz em si mesmo, é de momento; quando chega o sofrimento ou a perseguição, por causa da palavra, ele desiste logo.22A semente que caiu no meio dos espinhos é aquele que ouve a palavra, mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a palavra, e ele não dá fruto.23A semente que caiu em terra boa é aquele que ouve a palavra e a compreende. Esse produz fruto. Um dá cem, outro sessenta e outro trinta”.
— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

Meditação – por Rafaela Cotrim

A parábola do semeador, quantas vezes já ouvimos essa passagem, não é mesmo? E hoje, teremos a graça de meditá-la
juntos.

Existem dois pontos que me chamam atenção nessa passagem: 1- a parábola em si, as terras nas quais a semente vai caindo pelo caminho e, 2- o questionamento dos discípulos por Jesus falar em parábolas.

Começando pelo segundo ponto, Jesus fala que é necessário falar em parábolas, pois se cumpre a profecia de Isaías, dizendo que nosso coração de tornou duro e insensível. Hoje, nosso mundo está assim, pessoas com olhos e ouvidos mas que não escutam, que não enxergam. Que por N motivos têm seus corações endurecidos, e por isso precisam de outra metodologia, para que o Senhor possa se aproximar, e assim, ouvindo “histórias” possam ter seus corações convertidos e curados.

E então, vamos para a parte da terra… como está a terra do nosso coração? Será que estamos com os nossos corações endurecidos, nossos ouvidos surdos, e nossos olhos cegos? De modo que não conseguimos entender a vontade de Deus, e ouvir sua palavra? Ou teríamos um coração pedregoso, ouvimos a palavra, a recebemos com alegria, mas logo na primeira tribulação por sua causa, já desistimos? Ou ainda espinhoso, que apenas ouvimos a palavra, mas nem permitimos que ela dê frutos em nós, de tão preocupados com as coisas exteriores? Ou será que temos a graça de cultivarmos uma terra boa em nossos corações, ouvindo e compreendendo a palavra, fazendo dela alimento para nossa vida, e transmitindo-a a todos.

Qual a terra do teu coração? Sempre há tempo para mudar e converter-se… que seja fértil, que dê frutos!

Um Santo Domingo a todos!