Por – Letícia Oliva

 

A Paz do Cristo Libertador, leitores!

Ao longo dessas semanas, tomamos conhecimento sobre alguns dos pecados capitais e como combatê-los. Abordamos sobre preguiça, ira, inveja, luxúria, e avareza que ferem as virtudes da diligência, mansidão, caridade, castidade e generosidade. E o orgulho (ou soberba)?

Li no site “O Fiel Católico” que “na imaginação popular, os gatos têm 7 ou 9 vidas. Mas o pecado do orgulho tem milhões de vidas!”. Uma boa frase para uma grande reflexão. Pois como é difícil combater, exterminar, matar esse orgulho que, diferente dos demais pecados ligados ao desejo e ao emocional, afeta a parte espiritual. E, segundo Anselm Grün, o espírito é mais complexo de ser domado e esta é área onde, com maior facilidade, os demônios podem enganar alguém.

A prática de combate-lo se dá de si para si mesmo, da própria observação de si. Você é daqueles que se ensoberbecem por sua simplicidade? Reconhece que não tem vaidade e vive de um jeito simples e assim se gloria, porém, está sempre apontando as pessoas que possuem valores diferentes? Ou você é daqueles que gostam de se vestir bem, no mínimo adequadamente? Sempre busca ter um bom automóvel, casa sempre com alguma coisinha diferente? Se vangloria e quer sempre reconhecimento de seus próprios atos? Elogios para tudo? Cuidado! Esses são sinais deste pecado.

Note suas atitudes, suas incapacidades e imperfeições! O orgulho é um pecado inconsciente e, muito corriqueiramente, os mais orgulhosos são aqueles que pensam que não têm orgulho nenhum, até por conta de se acharem autossuficientes e detentores de toda a razão, passando por cima da autoridade de Deus, sobretudo.

Sempre encontramos nos evangelhos de Jesus que “não devemos julgar ninguém”, demonstração da verdadeira humildade que só pode ter partido d’Ele, que humildemente aguentou todas as ofensas até o alto da cruz, por Amor a Deus. A simplicidade leva as pessoas a respeitarem umas às outras; só assim, quem é realmente simples e humilde não julga seu próximo, não procura controlá-lo, nem presta atenção demasiada aos detalhes que não te dizem respeito. A HUMILDADE é a melhor maneira de vencer o orgulho, pois é a qualidade daqueles que não tentam se projetar sobre o outro. É a virtude que nos dá a consciência exata de nossa pequenez, fraqueza e modéstia diante de Deus. Nos permite um sentimento de reverência e imenso respeito, e isso necessariamente se estende ao mundo que nos cerca, à natureza e principalmente ao nosso próximo, pois também é obra do mesmo Deus.

Este pecado é uma erva daninha que, insistentemente quer crescer no jardim, por mais cuidado que este seja. Além de pecado grave, é de enorme estupidez. Tenha consciência da sua própria condição humana perto da grande Glória de Deus. Busque e coloque em prática os ensinamentos de Cristo, o maior exemplo de humildade no mundo. Maria, serva, simples e humilde, nos traz também valiosas práticas para alcançarmos o caminho da santidade.