Por – Leticia Oliva

A Paz do Cristo Libertador leitores!

Na última semana abordamos sobre o pecado da Preguiça. Pecado capital que fere a virtude da Justiça, contraria a Temperança, e a Fortaleza, e afeta diretamente a Prudência. Precisamos almejar a Virtude da Diligência para sermos bons e verdadeiros cristãos na luta contra este pecado.

E esta semana, trataremos do pecado da Ira, QUE TAMBÉM ATACA OS SENTIMENTOS. Segundo a Igreja Católica, esse pecado atiça o desejo de vingança, alcançando o desejo de matar o próximo ou feri-lo com gravidade, constituindo então um pecado mortal, pois age de forma grave contra a caridade. Portanto, é necessário um equilíbrio da alma e uma maturidade interior para combater essa mazela. E como chegar a esse equilíbrio? Se ocupando honestamente com os pensamentos, raciocinando, e principalmente, se abrindo SEM RESERVAS PARA DEUS, pois Ele preparou a raiva para nos deixar forte e não violentos. Ser violento não significa que a pessoa seja forte.

Pois bem, antes de continuar falando sobre a Ira, vejamos o que é raiva? Nada mais é que uma defesa, onde o nosso corpo se prepara para a guerra, fica enrijecido e pronto para, se preciso, matar. Como está ligada ao físico, à carne humana, vemos a importância de caminhar, correr, gasta-la de alguma forma por atividade física. Caso não gaste, a raiva destrói o próprio corpo. E mais, sendo reprimida se torna mágoa, ponto chave para o demônio que não quer que nosso pensar se liberte dela. Permitindo descontar no outro por meio da Ira, chegando à vingança e até destruição por meio do ódio, consequentemente, ao pecado mortal se não nos cuidarmos.

Irai-vos, mas não pequeis: não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo. (Ef 4, 26-27)

E como combater com o estado emocional desordenado? A PACIÊNCIA é a maior prova de força. A VIRTUDE DA MANSIDÃO é a força revestida de veludo. É a calma, a tranquilidade e o equilíbrio emocional. Ela é necessária para agradar a Deus, para a convivência e para manter a paz. Vale destacar a conexão que há entre a MANSIDÃO e a HUMILDADE. Manso é ser capaz de restringir a própria força para agir adequadamente nas situações extremas. Ter uma atitude de completa submissão a Deus e a Sua Palavra, demonstrando humildade, cordialidade e modéstia. Sem se desesperar nas adversidades, pois há confiança que tudo está sob controle do Senhor, e que nada foge de seu propósito. Assim suportando as injúrias dos homens, entendendo que tais coisas fazem parte da permissão de Deus para um bem maior. O esforço para a mansidão nos leva a postura de humildade e completa inclinação obediente a Deus.

Pecadores como somos, mas desejosos por sermos santos, homens e mulheres virtuosas, clamamos por: Jesus Manso e Humilde de Coração, fazei o nosso coração, semelhante ao Vosso. Amém!